sábado, 28 de outubro de 2017

Terapia de Purificação Okada - TPO/ Terapia da Felicidade

Introdução
O ser humano e, por conseguinte a família e assim a sociedade como um organismo macro, sempre desejou ser feliz. Desde os primórdios da cultura humana que suas realizações, seus projetos e suas descobertas indicam um traço comum nessa direção. A própria formação das sociedades primitivas, pode-se supor que visava mesmo que indiretamente a felicidade como subproduto da argumentação principal que era a sobrevivência da espécie frente a inumeráveis riscos como as intempéries, os animais selvagens e os próprios semelhantes, concorrendo na disputa de territórios, alimentos, etc. As sociedades modernas têm encarado a felicidade como alvo principal de todo seu esforço, seu trabalho maior. Algumas nações desenvolvidas empregam seus recursos básicos neste fim, embora que muitas pessoas destes países estejam como as dos não desenvolvidos, se sentindo no inferno como o descrito por Dante Alligieri em seu livro A Divina Comédia, ou seja, numa infelicidade total.
Um dos meios mais poderosos que os povos civilizados vêm utilizando para alcançar a felicidade é a ciência, o método científico. Quando Newton descreveu as Leis da Física Clássica, foi visto pelos seus pares como o homem mais feliz do planeta, somente pelo feito teórico. Ao longo do tempo toda descoberta científica tem sido vista como mais um degrau para se alcançá-la. Estas descobertas, estes inventos, sem sombra de dúvida têm produzido muito conforto para seus usuários embora que também, muito mal estar e doença para os trabalhadores de suas indústrias e laboratórios de pesquisa. É inegável que a vida destes povos ficou mais dinâmica, mais confortável e assim são chamados de povo civilizado, embora que a maioria do planeta viva sem o emprego destas tecnologias. Isto acontece porque ainda somos semisselvagens ou semicivilizados do ponto de vista da evolução espiritualista, não compartilhando o dito desenvolvimento científico com toda a humanidade.
Este progresso cria para os adeptos da ciência clássica uma expectativa crescente de um dia quando dominarem totalmente a natureza e souberem tudo sobre ela, serão proporcionalmente mais felizes.
A Medicina Alopática, como uma das filhas da ciência clássica juntamente com sua irmã a Teoria Econômica clássica, tem assumido como legado esta promessa. Nesse sentido vem empenhando todo seu argumento, o esforço de seus pesquisadores, na tentativa de erradicar as doenças, inegavelmente o principal fator de infelicidade, pois mesmo com todos os recursos materiais, todos os alimentos na mesa, se a pessoa não tiver saúde, de nada adianta tê-los.
Inquestionavelmente a medicina acumulou um volume enorme de conhecimentos sobre as doenças, que analisados à luz da ciência clássica são perfeitos, está inteiramente perfilado com o método científico clássico a ponto de em laboratório, como se diz no jargão da ciência, “in vitro”, os experimentos com drogas resolverem praticamente todo problema ou, por exemplo, matarem as bactérias mais agressivas. Alguns cientistas ainda acreditam que falta pouco para terem o comando da vida nas mãos e assim a erradicação das “patologias”. Seria a “felicidade total”, a “qualidade total” decorrente deste tipo de pensamento, no caso clássico ou mecanicista derivado da filosofia materislista mecanicista.
Entretanto, nos primeiros anos do século XX surgiu a Física Quântica com o Princípio da Incerteza de Werner Heisenberg, a descoberta do comportamento estranho de algumas partículas componentes do átomo, a influência do observador nos experimentos quânticos e assim todo um conjunto de novos saberes capazes de gerarem um novo paradigma. A mudança do paradigma clássico para o paradigma quântico. Neste novo contexto também surgiu uma nova esperança. Um novo horizonte para os não alinhados ou não satisfeitos com os efeitos colaterais do paradigma anterior, como a promessa de cura das doenças de forma marcante após a descoberta das bactérias por Luís Pasteur, dos antibióticos por Alexandre Fleming, cujo emprego “in vivo” produz também sequelas e muitas vezes a morte daquele que esperava ficar curado. Os conhecimentos da física quântica permitem como o próprio Heisenberg, prêmio Nobel de física de 1932, descreve em seu livro Física e Filosofia, “de que a mecânica quântica reviveu o conceito aristotélico de potencialidade da física moderna.” Também em outra passagem afirmou:
A física moderna é (...) uma parte muito característica de um processo histórico que tende à unificação e à ampliação do nosso mundo presente (...) mediante a sua abertura a todos os tipos de conceito, ela dá esperança de que, no estado final de unificação, muitas tradições culturais diferentes possam conviver e combinar diversos empreendimentos humanos em um novo tipo de equilíbrio entre pensamento e ação, entre atividade e meditação. (HEISENBERG, 1999)
A física quântica é uma realidade demonstrada em laboratório, presente na tecnologia de ponta como os raios Laser (light amplification by stimulated emissions of radiation) e outras aplicações usadas em tecnologias de controle remoto, etc.
A consequência disso é que a rigidez do pensamento científico cartesiano, em casos como este, está cedendo lugar ao pensamento científico flexível, mais condizente com a tendência da educação realista de união dos saberes clássico, quântico e das humanidades, incluindo a espiritualidade, a meditação e enfim abrindo as portas para uma medicina mais humanizada e ou complementar e as alternativas nascentes de cada era.
A Física Quântica redescobriu Deus e dentro desta premissa é que devemos nos portar para realmente atender os seres humanos de acordo com a nova realidade comprovada de que ele é um ser complexo, quântico, imanente e transcendente ao mesmo tempo:
A conclusão deste experimento é radical. A consciência quântica que precipitou a causação descendente da escolha das possibilidades quânticas é aquilo que as tradições esotéricas espirituais chamam Deus. Redescobrimos Deus dentro da ciência. E mais: esses experimentos provocam um novo paradigma da ciência, baseado não no primado da matéria, como a velha ciência, mas sim no primado da consciência. (GOSVAMI, 2008, p 82).
Surgiram assim as Terapias Quânticas, como uma indicação da abertura para o mundo das energias mais sutis, somente detectadas por aparelhos totalmente desconhecidos pelos não alinhados com o novo paradigma quântico; os cíclotrons, aceleradores de partículas, etc.
Os meios utilizados pela visão clássica para obter informação e conhecimento são limitados pela percepção sensorial e pelo raciocínio analítico (lógico) com características mensuráveis. Por outro lado, a abordagem quântica engloba a abordagem clássica e as características não físicas: incerteza, não linearidade, complementaridade, integração, imprevisibilidade, complexidade, sincronicidade, atemporalidade, e a espacialidade. Além disso, essa abordagem trata os aspectos qualitativos como científicos, que são classificados como não científicos pela abordagem clássica.  (ARORA, 2007, p. 13).
Temos então uma tarefa nova de olhar para a maneira diferente com que alguns povos encaram o conceito de felicidade e de como resolvem reavê-lo quando a doença o perturba.
Edgar Morin, um dos filósofos mais ouvidos da atualidade, percebeu esta tendência desde quando escreveu “Ciência com consciência”, até em “Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro” publicado pela UNESCO (MORIN, 2002), um dos setores das Nações Unidas responsável pela educação, bem como na coletânea de conferências temáticas reunidas no livro “Religação dos Saberes” (MORIN, 2002).
Mais próximo de nós encontramos as pesquisas do professor João Tadeu Andrade, doutor em antropologia médica e cultural com aprofundamento em medicina alternativa e complementar, que por sua seriedade certamente é uma contribuição positiva para a acreditação de novas maneiras de se manter e buscar a saúde como um bem-estar necessário e possível quando se amplia os conhecimentos para além do tradicional:
Diferentemente, na perspectiva das abordagens alternativas o ser humano deve ser visto como ser integral, não havendo barreiras entre mente, corpo e espírito... Deste modo, as terapias sinalizam para uma visão da saúde pensada em termos de bem-estar integral... (ANDRADE, 2006)
Surge então a tendência de se aceitar também na terapia, a união dos saberes e assim as terapias alternativas e complementares com a oficialização de algumas anteriormente vistas como descartáveis antes mesmo de um exame superficial pelos ditos donos do paradigma cientifico clássico, representados pelos conselhos de classe como o Conselho Federal de Medicina, que vem gradativamente autorizando seus membros praticarem essas medicinas alternativas, coma a Acupuntura e Homeopatia, através das Resoluções 1634/2002 e 1295/1989, respectivamente. (CFM, 2011)
A condição complexa do ser humano cada vez mais reconhecida como sua essência tem ajudado aos estudiosos da ciência a produzir argumentos também reconhecidos como certos da necessidade de que a busca da felicidade e no caso específico da saúde deve prever a inclusão também de métodos ou teorias complexas, fugindo-se da tradição mecanicista da descrição da vida, pois a espiritualidade já faz parte do ensino da ciência da saúde em grandes Universidades e nas pesquisas científicas sobre qualidade de vida, reconhecidos pela Organização Mundial da Saúde- OMS:
Considerada a medida que faltava na área da saúde, a QDV é definida, segundo a OMS, a percepção do indivíduo , de sua posição na vida, no contexto da cultura e nos sistema de valores nos quais vive e em relação aos seus objetivos, expectativas ...como a espiritualidade (BATISTA, 2012, p 3)
Mokiti Okada, criador da Agricultura Natural e da Terapia de Purificação Okada, aprofundou os conhecimentos da espiritualidade como fundamental para se viver de forma mais tranquila de acordo com a nova ciência, nascente na primeira metade do Século XX:
Mesmo que se chegue a uma organização ideal, se o modo de pensar e agir de cada indivíduo estiverem errados, essa organização não poderá ser administrada com eficiência e o resultado, infalivelmente será a bancarrota. Portanto, a única forma de solucionar o problema é melhorar a natureza espiritual de cada indivíduo (OKADA, 1991, p 202).
Assim, poderemos vislumbrar um novo tempo, uma nova sociedade que por ter mais saúde terá mais disponibilidade para ser mais ativa mais participativa nas decisões importantes dos organismos administrativos de todos os recursos e permitir sua aplicação de forma mais compatível com a busca da felicidade para todos e não somente para as minorias privilegiadas. Será evitada uma tendência à desumanização da medicina, temida por todos os segmentos da sociedade incluindo o médico que nunca quis uma medicina mecanicista, utilitarista e mercantilista como alguns planos e empresas de pesquisa de saúde insistem em implantar:
Caso o leitor se tenha convencido de que a medicina é um fenômeno social e de que tudo que diz respeito às decisões no setor interessa a todos os cidadãos, podemos avançar para uma segunda argumentação. Urge compreender e posicionar-se sobre o fato de que a generalização da ideologia utilitarista e mercantilista no campo médico está em vias de produzir uma desumanização ou tecnificação importante do sistema como um todo e das práticas de cura em particular (MARTINS, 2003, p 33).
Terapia de Purificação Okada
A Terapia de Purificação Okada – TPO foi descoberta por Mokiti Okada, que viveu no Japão de 1882 a 1955. Mokiti Okada (FRANK, 2009) desenvolveu este invento a partir da busca da saúde perdida experimentando tudo que estava ao seu alcance, como a alimentação vegetariana, meditação, massagem, medicina alopática, etc. Contou com ajuda de amigos entre eles médicos, que na primeira metade do século XX ainda não contavam com os meios atuais, como os antibióticos por exemplo. Desenvolveu seu raciocínio a partir do estudo da filosofia oriental, da Teoria da Intuição de Henri Bérgson (França 1859-1941), do Pragmatismo Norte-americano de Charles Sanders Peirce (USA 1839-1914), propagado por William James (USA 1842-1910) e especialmente das Leis da Natureza, como os métodos de defesa natural como o processo inflamatório, a formação e eliminação de secreções e especialmente os fatores que os estimulam mais adequadamente, sem precisar voltar a se viver como os seres humanos primitivos. Nos primórdios de sua criação, recebeu outras denominações como Massagem no Estilo Okada, Terapia Japonesa e finalmente, Terapia de Purificação Okada. O Mestre Okada descreveu sua filosofia como uma nova ciência, uma ciência além da ciência e não como uma religião como os praticantes do Johrei leem nos livros reescritos por sua esposa e auxiliares após sua passagem para o Mundo Espiritual em 10 de fevereiro de 1955. Em virtude da Política Japonesa no após Segunda Guerra Mundial, ter aprofundado a ocidentalização do Japão, a Lei da Medicina editada nesse período limitou sobremaneira o avanço da TPO, deixando muitos praticantes confusos; o que gerou muitas dissidências na Filosofia Okadiana, a criação de varias Igrejas ministrando a Terapia de forma simplificada e com o nome de o Johrei, para fugir da perseguição das leis da medicina implantadas na época. Johrei significa literalmente purificação do espírito e assim, passou-se a divulgar que era “uma oração em ação e não uma terapia.”.
Somente após o reconhecimento da TPO pelo Instituto de Saúde dos Estados Unidos - NIH, como uma terapia bioenergética, é que ela ganhou fôlego para voltar a se expandir; e então entrou no rol das terapias complementares e atualmente nas terapias ditas integrativas.



TPO e a evolução da Ciência
Nos primórdios da existência humana as ações eram praticadas com base nos cinco sentidos ou na intuição, de maneira muito simples e por isto mesmo esse tempo é denominado de Era Primitiva.
Com o tempo, o conhecimento captado pelos cinco sentidos aperfeiçoou-se ganhando o nome de Ciência e os demais conhecimentos; de anticientíficos, que se transformaram ou foram agrupados com os anos em um conjunto de saberes ou práticas denominadas de superstição, pois ainda não tínhamos os modernos métodos da Ciência Qualitativa da atualidade, que utiliza a intuição em inúmeras pesquisas e alguns a usam como sinônimo de espiritualidade. Nesse contesto, as religiões e tudo que vinha da intuição incluindo o sentimento, perdeu status, e seus praticantes, as denominações mais variados, como feiticeiro, bruxa, curandeiro, rezador, pajé, etc. Isto faz parte do plano de desenvolvimento da humanidade e a luta entre as duas categorias de adeptos das duas correntes não foge a regra desta natureza. Tanto é que sempre vem aumentando a inteligência de ambos a ponto de hoje se reconhecer a espiritualidade decorrente da prática do Sentimento de Compaixão, como científica. (OMS/WHO).
A ciência descobriu ao longo da história as leis da Natureza e as vem empregando em benefício da humanidade, sempre com grande dificuldade em virtude de ser algo novo, desconhecido e exigir mudança de comportamento e atitudes no emprego prático destas descobertas. Isto é natural, pois nosso ser funciona exatamente assim: aprende com dificuldade e quando apreende o novo, pratica como se fosse algo natural, esquecendo ou fazendo os outros esquecerem que há poucos anos até matava os defensores dessa nova teoria. A descoberta do Heliocentrismo, antropocentrismo, da energia elétrica, eletromagnética e da Teoria Quântica, são apenas alguns exemplos, que geraram muito incômodos e até a morte de milhares de pessoas.
Assim como ainda existe pessoas que não acreditam no eletromagnetismo, na Teoria Quântica, não devemos estranhar o fato de muitos não acreditarem no poder do sentimento, no poder da oração, etc.
A quase totalidade das pessoas não consegue ver a Força da Natureza, como a Fotossíntese, que usa luz solar para transformar o CO², um gás tóxico, em alimento e ainda libera oxigênio, um gás vital para nossa existência, como uma ciência profunda, dado que nos é ensinado pela Ciência Clássica, como um fenômeno mecânico simples e não como um fenômeno quântico complexo.
A TPO é a utilização deste Poder da Natureza para transformar toxinas prejudiciais ao organismo em produtos inertes, que serão eliminados pelos órgãos excretores, especialmente os rins, cujo resultado é um organismo mais puro e mais forte, com mais força para continuar viver com mais saúde, eliminando as sujeiras prejudiciais pelos sistemas de defesa.
É deste modo que devemos enxergar a descoberta da TPO, dado que se trata de uma energia desconhecida da Ciência Clássica, mesmo tendo sido já comprovada em mais de 70 mil clientes, cientificamente pelos pesquisadores da Mokiti Okada Association – MOA. Seu descobridor, Mokiti Okada, a descreveu como sendo A Força da Criação, ou Força Espiritual, ou Raios Cósmicos Misteriosos, emitidos pelo Criador do Cosmos.
Funciona muito parecido com a energia quântica usada nos controles remotos e ao mesmo tempo como a energia do sentimento de compaixão. Também parece com a energia das plantas que respondem ao amor no trato para com elas e ao alimento gostoso feito com muito sentimento para agradar.
Assim como os programas de televisão que estão disseminados pela atmosfera e para serem vistos precisam ser captados por um aparelho de TV, a TPO precisa do distintivo da MOA que capta essa energia misteriosa e quando se empunha a mão, é transmitida para o recebedor. A diferença é que Mokiti Okada, descobridor da TPO, caligrafou a palavra Hikari (Luz em japonês) impregnando-a com sentimento de compaixão profundo de salvar toda a humanidade, conjugando a inteligência das Ciências Clássicas de uso de energias mensuráveis por aparelhos mecânicos, com a Ciência das Humanidades, que inclui a intuição como sinônimo de Sentido Espiritual (Espiritualidade) e colocando-a dentro de uma medalha ou distintivo MOA.
Por isso que o ministrante da TPO precisa apreender o conhecimento da nova Ciência do Sentimento e a usar o distintivo da MOA como se usa os aparelhos de energia quântica ou quantizada, acrescido do sentimento de compaixão. Caso faça imposição de mãos sem o distintivo da MOA, estará transmitindo apenas energia do seu sentimento e não o irradiado da palavra Luz (Hikari).
Concluindo, como se trata de algo novo, desconhecido e não captado pelos cinco sentidos, sua aprendizagem requer mais que um simples conhecimento de informações como se fosse a descoberta da energia elétrica, por exemplo. Será preciso o Ensino Vivo, que significa ensinar com compaixão a sua prática e sobre o uso do distintivo MOA para que a humanidade passe a aceitar este novo paradigma, evitando-se as guerras do passado quando se impôs o novo através da espada.
Após a passagem do Mestre Okada para o Mundo Espiritual em 10 de fevereiro de 1955, a maioria dos adeptos da Terapia Okada transformaram-na em oração em ação com o nome de Johrei e sua aplicação em vez de terapeutas passou a ser executada por membros de uma nova religião. A Sekai Kyusei Kyo, que em português foi traduzida para Igreja Messiânica Mundial.
Os benefícios da TPO e do Johrei, em alguns casos são semelhantes, mas a TPO é diferente, pois é praticado como Ciência, pelos pesquisadores e voluntários da MOA. Os terapeutas da MOA fazem uma verificação dos pontos para definir um plano de aplicação da terapia e acompanham a evolução da manifestação dos resultados passo a passo, cientificamente. O ministrante de Johrei, mais conhecido como uma oração em ação é praticado pelos adeptos das religiões, fundadas pelos conhecedores da Filosofia de Mokiti Okada precisam apenas seguir a evolução espiritual/religiosa de suas “ovelhas”. Historicamente, estas religiões são muito importantes, porque sustentaram o legado do Mestre Okada, até o reconhecimento da Terapia pelos cientistas do NIH. Os dois métodos estão crescendo e vêm conquistando cientistas no seu estudo, como o caso de Oliveira, em sua dissertação de mestrado em ciências na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo que cita:
O Johrei é uma prática de impostação de mãos, descrita por Mokiti Okada, no Japão, vinculada à igreja messiânica. Seus praticantes acreditam que através da impostação de mãos sobre o corpo de uma pessoa energias invisíveis podem provocar alterações tanto no físico quanto no emocional e espiritual.  (OLIVEIRA, 2003)
Por ser um método não invasivo e muito fácil de aplicar, seu avanço já chegou a muitos países.  A TPO vem sendo aceita gradativamente em várias nações como uma terapia científica e aplicada pelos Voluntários da MOA. Já o Johrei em alguns deles é aplicado pelas Associações de Johrei e nos demais como o Brasil, pelos adeptos das igrejas como a Igreja Messiânica, Toho no Hikari, Luz do Oriente, etc. embora que esses adeptos façam intercâmbios entre ambos, como descritos pela doutoranda Regina Yoshie Matsue da Universidade de Tsukuba – Japão, disponível na home-page da PUCSP:
Com intuito de escapar do discurso religioso tradicional, a Igreja Messiânica está buscando adaptar-se à espiritualidade da nova era. Enfatizando Johrei como terapia alternativa e Okada, para os australianos, é apresentado como um terapeuta, diferente da versão brasileira onde ele é reverenciado como um messias ou líder religioso. "Johrei é uma arte terapêutica desenvolvida por Mokichi Okada, terapeuta japonês" (panfletos da Igreja Messiânica distribuídos na Austrália). (MATSUE, 2011)
Recentemente um médico da Universidade de São Paulo – USP, publicou pesquisa com o Johrei, disponível na home-page da Associação Brasileira de Medicina Complementar - ABMC:
 ... Um estudo feito pelo HC (Hospital das Clínicas) de São Paulo e pela Universidade do Arizona (EUA) apontou que o johrei - técnica milenar praticada na medicina oriental- pode ajudar pacientes cientes de que sentem fortes dores no peito, mas que não apresentam nenhuma doença que justifique as queixas de dor... Segundo o gastroenterologista do HC Tomás Navarro Rodrigues, o johrei mostrou-se eficaz em 90% dos casos avaliados. A pesquisa envolveu 40 pacientes com dores torácicas não-cardíacas, com idades entre 50 e 75 anos. (RODRIGUES, 2011.)
Vale salientar um adendo importante com relação a variante Johrei, praticado pelas Associações de Johrei e por membros de várias Igrejas. O praticante da TPO aprende já no Curso Básico de formação de Terapeutas da MOA, a tomar consciência dos resultados, minuto a minuto, de cada mudança provocados pela atuação da Terapia, nos pontos estudados nas aulas de TPO e redireciona a mão para onde a técnica do Mestre Okada lhe ensinou; os ministrantes de Johrei, não são treinados para aplicar esta tecnologia.
A Terapia de Purificação Okada assim como o Johrei visa a eliminação das impurezas do organismo inclusive as produzidas pelos pensamentos, antes de causarem lesão física, fortalecendo o organismo na sua essência, bem como a eliminação de toxinas que produziram e estão produzido doenças, em todos os estágios.
Sua aplicação pode ser concomitante aos outros métodos terapêuticos e consiste apenas na imposição da mão por uma pessoa portadora do distintivo outorgado pela MOA, em qualquer local que o paciente esteja, como emergência, enfermaria ou residência. No caso do ministrante de Johrei, o distintivo é outorgado por um dirigente de uma das Igrejas citadas. Este distintivo contém em seu interior a palavra hikari, que significa luz em japonês, escrita em papel pelo descobridor, dentro dos postulados das artes japonesas, que valoriza as caligrafias com significado importante, como instrumento de grande valor, na elevação da espiritualidade.
O Método Científico vem incluindo as situações inusitadas do novo paradigma quântico, já previsto por cientistas como Rupert Sheldrake (SHELDRAKE, 1995) entre tantos outros, A TPO certamente faz parte do rol de métodos nascentes e necessários para preencher os vazios existentes na complexa teia da vida, incluindo-se na Portaria 971 de 03/05/2006 do Ministério da Saúde, que define a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. (BRASIL, 2011) Nesse caso a TPO e o Johrei, funciona como um método de incrementar felicidade independente de outros métodos que estão sendo empregados para tratar a doença em curso.
Conclusão
A TPO visa especialmente diminuir o sofrimento humano para que os beneficiados voltem para um estágio de vida plena de saúde e assim repleta de felicidade. A  felicidade de pessoas que estão desejando algo novo e sem danos adicionais como as reações adversas causados por substâncias químicas artificiais ou naturais, procedimentos invasivos de risco, etc. Também tem a pretenção de cooperar com a ampliação da consolidação da implantação da Portaria Ministerial 971, acima citada, fazendo parte dessas terapias.
Os autores deste artigo sentem de maneira profunda que a união dos praticantes de ambos os métodos, está acontecendo gradativamente baseado da previsão do Mestre Okada que falava: “Quem deseja ser feliz, trabalha para o bem da sociedade, positivamente”. Isto é o ideal, pois seres humanos quando estão sofrendo de doença, querem voltar à saúde independente do método de cura, contanto que não lhe impingem mais sofrimento. A compaixão vencerá as barreiras do passado e assim a TPO será cada vez mais, instrumento em prol da felicidade de todos.
Bibliografia
ANDRADE, João Tadeu. Medicina alternativa e complementar: experiência, corporeidade e transformação, Salvador, EDUFBA: EdUECE, 2006.
ARORA, Harbans Lal. Terapias Quânticas: Cuidando do ser inteiro. Rio de Janeiro, Qualitymark, 2007.
BATISTA, S., MENDONÇA, A.. Espiritualidade e qualidade de vida nos pacientes oncológicos em tratamento quimioterápico. Revista Bioética, Brasília, v.20, n.1, mai. 2012. Disponível em: http://revistabioetica.cfm.org.br/index.php/revista_bioetica/article/view/723/748. Acesso em: 18 Abr. 2014.
BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Medicina Complementar e Alternativa. Disponível em:
CFM, Conselho Federal de Medicina. Resoluções. Disponível em: http://www.portal.cfm.org.br/index.php?option=com_resolucoes&Itemid=36. Acesso em 29 de agosto de 2011.
FRANK, Akira Miyahara, Método de Saúde Okada: Através da Medicina Integrativa. Rio de Janeiro, Ed Livre Expressão, 2009.
GOSVAMI, Amit. Deus não está morto: evidências científicas da existência de Deus, São Paulo, Ed. Aleph, 2008.
HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. 4. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
HEISENBERG, Werner. Física e Filosofia, Brasília, Editora Universidade de Brasília, 4ª Ed. 1999.
JAMES, William. Pragmatismo. Ed. Martin Claret, São Paulo, 2006.
MOA. Terapia de Purificação Okada. Disponível em: http://www.moa.org.br. Acesso em 14/01/2013
MARTINS, Paulo Henrique. Contra a desumanização da medicina: Crítica sociológica das práticas médicas modernas, Ed. Vozes, Rio de Janeiro, 2003.
MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários a Educação do Futuro, SP. Edições UNESCO Brasil, Cortez 2002.
MORIN, Edgar. Religação dos Saberes: O desafio do Século XXI, Ed. Bertrand Brasil, 2002.
OKADA, Mokiti. Alicerce do Paraíso. Ed. Sekai Kyussei Kio, São Paulo, 1991.
SATO, Haroldo Tuyoshi. Oficina Terapêutica de Arranjos Florais – Ikebana. Curitiba, PR, Editora CRV, 2011.
SENGE, Peter et all. Presença: Propósito humano e o campo do futuro. São Paulo, Ed. Cultrix, 2007.
SHELDRAKE, Rupert. Sete experimentos que podem mudar o mundo, Ed Cultrix. São Paulo, 1995.
ZUCAV, Gary. O Poder da Afinidade: Aprenda a criar um círculo altamente positivo em torno de você. Ed. Lafonte, São Paulo, 2012.
Contato dos autores: josebetiene@gmail.com
Fones: (87) 9-9635.8299 Tim e (87) 9-9119-5445 Claro




domingo, 12 de fevereiro de 2017

COMO O BEM ATUA

COMO O BEM ATUA
A Física Quântica descreve em seus postulados, que tudo que existe é composto de possibilidades quânticas; ondas e partículas em permanente interconversão e entre os dois, o enigmático, mas real, Salto Quântico.
No Mundo Quântico você pode experienciar tudo, mas somente descrever o que “viu”, em termos de probabilidades.
Entretanto, a despeito de alguns céticos questionarem, estes eventos são controlados pelas Forças da Natureza, nas quais se inclui agora, a Causação Descendente, a Consciência e o poder do observador. A Causação Descendente é definida pelo físico quântico Amit Goswami, como o Poder Criador, Deus.
A História tem provado o poder da presença dos seres humanos como agente de transformação do meio e nos eventos quânticos está bem definido seu modus operandi. Assim, este tudo que existe, este Universo, deve ser visto como algo mais complexo do que qualquer definição científica posta à nossa disposição.
Sendo parte imbricada deste complexo, nós influenciamos e somos influenciados constantemente por todos os eventos físicos ou não físicos em todos os espaços e em todos os tempos, nada fica fora da influência nem mesmo de um salto quântico de um elétron componente de um átomo do meu coração ou localizado em uma galáxia distante.
Quando fazemos alguém feliz, por exemplo, nosso ser ativa nosso Sistema Límbico, produtor de mediadores químicos, para a produção de endorfina, substância leve, causadora de felicidade, cuja existência vibra irradiando luz que por sua vez também acelera a produção de endorfina em ambos os envolvidos na situação. Isto acontece, pois estamos todos conectados, somos todos um só. Deste modo as irradiações se propagam e como continuam ligadas a você, funciona como uma reserva de energia a seu favor em maior grau e aos demais proporcionalmente ao seu grau de afinidade (Teoria do Entrelaçamento).
Caso a ação seja causadora de dor, tanto o seu sistema como o do recebedor, são estimulados a produzirem substâncias pesadas como a adrenalina e outras, que vibram numa frequência estimulante da infelicidade e assim sentem vontade de vingarem-se ou caso não possam, fazem coisas más, odiarem, lamuriarem-se, etc. Da mesma forma como na irradiação benéfica, estas irradiações pesadas ou malignas, funcionam como uma reserva de energia ruim, causando mal estar a qualquer momento.
Esta é a realidade deste Cosmos e a evolução vem se processando devido à força do Bem ser mais abundante. Mokiti Okada, criador da Agricultura Natural e da Terapia de Purificação, descreveu que a diferença entre ambas é de apenas 1%. A Cosmologia detectou que para cada 1.000.000 de partícula componente da formação do Universo, existem 999.999 antipartículas em constante transformação (Teoria do Big Bang).
Assim é que a luz ou estas irradiações/vibrações mais sutis, mais leves ou de cumprimento de ondas mais curtas, são mais energéticas, mais fortes, têm mais poder do que as mais pesadas ou de cumprimento de onda mais longa (Teoria Ondulatória da Matéria). Algumas pessoas usam analogia simplificada, mas não igual por ser algo mais complexo do a luz e sombra macroscópicas ou visíveis – ao acendermos uma lanterna na escuridão macroscópica ou visível, a sombra desaparece, no mundo invisível ou quântico é bem diferente.
Gary Zucav, autor premiado do livro sobre a Nova Física, “A Dança dos Mestres Wu Li”, explica, usando a linguagem dos estudiosos da linguística, que a realidade nunca poderá ser expressa por palavras, pois estas são apenas símbolos estáticos de uma realidade percebida por alguém, num determinado contexto e carregada das emoções deste alguém. Como a realidade, está sempre mudando, pois é composta de informações quânticas e não de coisas como se pensa no paradigma clássico, um bilionésimo de segundo depois, levando-se em conta apenas este parâmetro, já se precisaria de outro símbolo ou palavra. Somente a vivência ou experiência direta, sendo o “eu do momento” de Henri Bergson, ou usando a intuição profunda pode-se saber (saborear) algo sobre a realidade profunda. Por este exemplo é que se prova que somente se sabe o gosto do alimento, provando, saboreando e também somente sente a dor aquele que está calçando o sapato apertado. Tudo isto vem sendo registrado pelo nosso cérebro ao longo de nossa evolução, começando pelo cérebro reptiliano, depois pelo límbico até chegar ao córtex moderno.
Atualmente se sabe que, o córtex moderno tem grande influência sobre o restante do cérebro e vem sendo mudado por pressões evolucionárias a fim de desenvolver  habilidades cada vez mais aprimoradas para prover, criar laços, comunicar, cooperar e amar (Dunbar e Shultz 2007).
Na História da Humanidade isto vem sendo descrito de variadas maneiras a depender da cultura da tribo ou do povo. Um exemplo poderia ser o modo como estes povos vêm ensinando aos seus membros como praticar o bem e como punir os descumpridores de seus ensinamentos.
Neste contexto, temos visto instituições que tratam os criminosos com um método de recuperação que leva em conta o potencial profundo ou espiritualista do ser humano, aplicando a Educação Viva que significa em latim tornar doce (Educere), e assim conquistando o recuperando para também operar junto (cooperar), redescobrindo sua alma ou partícula quântica original ligada ao Criador do Cosmos e limpando as nuvens que dificultava sua ação. Nuvens formadas em decorrência das promessas da sociedade materialista de busca do poder pentasensorial, que causa tanta dor e frustação ao invés da busca do poder ultrasensorial ou espiritualista altruísta. Estas instituições comprovam com resultados significativos.
Estatisticamente ainda são poucos exemplos, pois impera no mundo o paradigma materialista egoísta, no qual está embutido sutilmente que “se eu ganho ou perco algo, outro perde ou ganha também, na mesma medida”.
Somente no novo paradigma que leva em conta a descrição da realidade como um todo integrado, o Universo como um organismo e não mais como uma máquina é que é possível a nova ordem: Eu ganho na mesma proporção que os outros também ganham a depender do esforço empregado na causa em questão. Neste paradigma o ser humano é também criador da realidade ou mais precisamente, cocriador das ações dentro de si e em seu redor. Podemos dizer assim que é instrumento do Criador do Cosmos, na construção do mundo civilizado, um mundo de verdade, bem e beleza. Este novo mundo não exclui o velho e sim é a somatória do mundo primitivo ou selvagem com as ações do bem autêntico, que visa toda a humanidade, praticadas pelas pessoas que vivenciaram o poder autêntico e assim são altruístas e espiritualistas ou iluminadas como Buda, Emanuel, Francisco de Assis, para citar apenas alguns entre milhares de conhecidos.
 Ninguém mais pode ser visto como um ser passivo e sim agente das ocorrências a sua volta, aqui e alhures em menor ou maior grau, visíveis ou invisíveis.
Bibliografia
·         ANDRADE, João Tadeu. Medicina alternativa e complementar: experiência, corporeidade e transformação, Salvador, EDUFBA: EdUECE, 2006.
·         ARORA, Harbans Lal. Terapias Quânticas: Cuidando do ser inteiro. Rio de Janeiro, Qualitymark, 2007.
·         BOFF, Leonardo. Saber Cuidar: Ética do Humano – Compaixão pela Terra, Rio de janeiro, Vozes, 1999.
·         HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. 4. Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
·         HEISENBERG, Werner. Física e Filosofia, Brasília, Editora Universidade de Brasília, 4ª Ed. 1999.
·         JAMES, William. Pragmatismo. Ed. Martin Claret, São Paulo, 2006.
·         MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários a Educação do Futuro, SP. Edições UNESCO Brasil, Cortez 2002.
·         MORIN, Edgar. Religação dos Saberes: O desafio do Século XXI, Ed. Bertrand Brasil, 2002.
·         MOA. Terapia de Purificação Okada. Disponível em: http://www.moa.org.br. Acesso em 14/01/2013.
·         SATO, Haroldo Tuyoshi. Oficina Terapêutica de Arranjos Florais – Ikebana. Curitiba, PR, Editora CRV, 2011.
·         SENGE, Peter et all. Presença: Propósito humano e o campo do futuro. São Paulo, Ed. Cultrix, 2007.
·         SHELDRAKE, Rupert. Sete experimentos que podem mudar o mundo, Ed. Cultrix. São Paulo, 1995.
·         ZUCAV, Gary. O Poder da Afinidade: Aprenda a criar um círculo altamente positivo em torno de você. Ed. Lafonte, São Paulo, 2012.
José Ambrósio Guimarães
Médico e Mestre em Políticas Públicas e Sociedade.

Fones: (87) 9-9636.8299 Tim e (87) 9-9119.5445 Claro. E-mail: josebetiene@gmail.com

terça-feira, 4 de junho de 2013

O MUNDO ESPIRITUAL SEGUNDO A FÍSICA QUÂNTICA

O MUNDO ESPIRITUAL SEGUNDO A FÍSICA QUÂNTICA.[1]
A força principal do Universo e de tudo que nele habita é invisível. Esta força sendo primordial é a origem de tudo inclusive da matéria. Sua manifestação universal através dos sentimentos e pensamentos vem causando todos os desenvolvimentos individuais e assim o social. Inclui-se neste rol a espiritualidade que gera a religiosidade e as religiões, desde as primitivas, intermediárias e as atuais. Pelo fato de termos um potencial individual quase autônomo (livre arbítrio) dependente de múltiplos fatores, como a força de vontade, a força do pensamento, a influencia dos hormônios, o meio ambiente, as informações, a cultura, a presença do outro, etc. esta força invisível que podemos denominar de espiritual é vista de incontáveis maneiras, entre elas a mais comum é a preconceituosa (falta de conceito, de sabedoria: “Eu estou certo e o outro está errado”); os sábios têm-na visto desde a antiguidade com tranquilidade, corretamente (sem preconceitos): “O outro pode estar certo também”. Estes se tornam os guias das sociedades pacíficas que geram homens pacíficos que produzem condições construtivas; são sustentáculos do desenvolvimento, podendo-se dizer instrumentos do Criador. Quem não tem sabedoria não tem conceito formado sobre esta força fundamental, vive em confusão permanente e emite conceitos equivocados (preconceitos) e; juntando-se aos outros formam grupos e até nações preconceituosas e violentas. Como não sabem que a força fundamental é uma energia poderosa, mas sutil do ponto de vista das energias materiais (matéria visível), não usam o tempo necessário para aprenderem como a utilizar e assim temos os que conseguem negar a sua existência (alguns os chamam de ateus) e os que se perturbam com suas manifestações, como falado antes: o sentimento, os pensamentos, etc. – estes são os loucos, histéricos, etc..
Na atualidade com a descoberta dessa força pela física quântica está surgindo a possibilidade da união dos saberes dos iluminados (sábios) com a Ciência. Agora já se pode falar claramente em poder espiritual como sinônimo de poder cósmico ou poder da força do Universo. Como a linguagem é uma manifestação do pensamento e não o pensamento em si, podemos sem causar nenhuma estranheza aos sábios, dizer que esta força cósmica é a manifestação do Criador, Deus dos religiosos. Sendo ele de natureza invisível, mas existente, a compreensão humana é incapaz de descrevê-lo completamente a não ser sobre alguns aspectos ditos “semelhantes a sua imagem”. Como esta força está manifestando sua expansão constante e é eterna no tempo físico, muitos têm criado conceitos estáticos, figuras “eternas” que impõem aos subordinados, como o seu deus verdadeiro, gerando os conflitos espirituais e até as guerras, decorrentes dessa aberração.
Portanto a paz universal virá no tempo em que os sábios se unirem e aceitarem o poder dessa força como “o plano cósmico do seu criador”. O aumento desses indivíduos sem preconceito sobre este plano cósmico criará uma sabedoria cósmica (união da Espiritualidade com a Ciência). A consequência dessa união será inusitada, nunca vista antes; uma mudança na vida dessas pessoas, que se tornarão cada vez mais conscientes do seu papel social. Serão exemplo de seres respeitosos dos outros e de tudo que faz parte da natureza visível e invisível.
Decorrente desse respeito individual surgirá o respeito coletivo e como consequência o respeito universal, ou seja, a Paz Mundial. Mesmo que continuem existindo muitas denominações religiosas, por serem praticadas com verdadeira sabedoria que é a que respeita profundamente o outro, elas trabalharão no sentido de elevar cada vez mais a sabedoria de seus adeptos e o resultado parecerá com uma profecia que diz: “Um dia haverá uma só religião e um só pastor”. Traduzindo: uma força cósmica reconhecida como Deus infinito em sua diversidade e cada individuo O amando sobre tudo e a tudo que Ele criou.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ARORA, Harbans Lal. Terapias Quânticas: Cuidando do ser inteiro. Rio de Janeiro, Qualitymark, 2007.
BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano- compaixão pela terra. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.
CAPRA, Fritjop. O Ponto de Mutação: A Ciência, a Sociedade e a Cultura emergente, São Paulo, Ed. Cultrix, 1982.
DESCARTES, René. Discurso do método. São Paulo: Martin Claret, 2008.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder, Rio de Janeiro, Edições Graal, 1979.
FRANKL, Viktor E. Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.
GUIMARÃES, J. A. Assistência Humanizada em Toxicologia Clínica no Sistema Único de Saúde do Ceará: Estudo de Caso no Hospital Geral de Fortaleza. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Políticas Públicas e Sociedade) – Universidade Estadual do Ceará, 2010.
HEIDEGGER, M. Ser e Tempo. 4.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
HEISENBERG, Werner. Física e Filosofia, Brasília, Editora Universidade de Brasília, 4ª Ed. 1999.
JAMES, William. Pragmatismo. Ed. Martin Claret, São Paulo, 2006
MARTINS, Paulo Henrique. Contra a Desumanização da Medicina: crítica sociológica das práticas médicas modernas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.
MOA. Terapia de Purificação Okada. Disponível em: http://www.moa.org.br. Acesso em 14/01/2013
MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários a educação do futuro. São Paulo: Ed. UNESCO Brasil, Cortez; 2002.
______. Religação dos saberes: o desafio do Século XXI. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.
PLATÃO, Fédon. Diálogo sobre a alma e morte de Sócrates. São Paulo : Martin Claret, 2007.
ROUSSEAU. A origem das desigualdades entre os homens. 2.ed. São Paulo: Escala, 2007
SATO, Haroldo Tuyoshi. Oficina Terapêutica de Arranjos Florais – Ikebana. Curitiba, PR, Editora CRV, 2011.
SENGE, Peter et all. Presença: Propósito humano e o campo do futuro. São Paulo, Ed. Cultrix, 2007.
SHELDRAKE, Rupert. Sete experimentos que podem mudar o mundo, Ed. Cultrix. São Paulo, 1995.



[1] José Ambrósio Guimarães, Médico e Mestre em Políticas Públicas e Sociedade

segunda-feira, 23 de maio de 2011

PLANETASUSTENTAVEL

http://fpdownload.macromedia.com/pub/shockwave/cabs/flash/swflash.cab#version=8,0,0,0" height="160" id="selo" width="160

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Saúde Paz e Prosperidade

"Gratidão gera gratidão...alegrem-se que virão coisas alegres" Mokiti Okada(Japão 1882-1955)
É nosso lema para toda humanidade plena de Saúde Paz e Prosperidade.

Por favor visitem o Solo Sagrado de Guarapiranga, para se fortalecerem e assim fortalecer a Humanidade: www.solosagrado.org.br
Muito obrigado!

segunda-feira, 24 de maio de 2010

CONDUTAS NAS INTOXICAÇÕES E ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS


A EXPLICAÇÃO DE COMO UTILIZAR O PROTOCOLO AO LADO PODE SER VISTA NOS MANUAL DO TRABALHO RURAL EDITADO PELA PRT7 E DISPONIVEL NA HOME-PAGE DO HGF: http://www.hgf.ce.gov.br/index.php?option=com_phocadownload&view=category&id=25:agrotxicos&Itemid=15